segunda-feira, julho 13, 2015

REFLEXÕES SOBRE O MOMENTO POLÍTICO



REFLEXÕES SOBRE O MOMENTO POLÍTICO


1) Lacan ensina: o que eu peço não é aquilo que eu quero.


2) Aécio Neves é um caso para psicanálise.


3) Não se conforma com a derrota e não dá trégua pedindo o impedimento de Dilma.


4) Se Dilma cair, o PMDB assume o poder no país: Michel no Executivo, Renan e Cunha no Legislativo.


5) Ricardo Pessoa doou dinheiro para Dilma e Aécio nas eleições 2014. O pedido de cassação de mandato no TSE não possui nenhum fundamento legal.


6) O golpe da direita estava desenhado, mas há divergências entre eles: os tucanos paulistas vão pisar no freio, não vão dourar a pílula para o menino mimado de Minas Gerais.


7) Os tucanos paulistas estão longe de querer uma crise institucional.


8) Serra aproveita o momento para tirar a Petrobras do pré-sal e abrir as portas para as petroleiras estrangeiras. Seu projeto tira da Petrobras o direito de ser a única operadora com 30% do capital dos consórcios do pré-sal, e tem como segundo passo, a eliminação do conteúdo nacional e a liquidação da partilha, da obrigatoriedade de investir os royalties em educação, saúde, meio ambiente e inovação.


9) Em um momento no qual 4.ª Frota norte-americana foi reativada e que os ianques não reconhecem o mar territorial brasileiro.


10) Além disso, quem investiu em pesquisa foi a Petrobras. Roeu o osso e agora vai ficar de fora do filé.


11) Os conservadores aproveitam o momento de recuo da esquerda para passar sua pauta retrógada.


12) Sob a liderança de Cunha, promovem uma contrarreforma política: acabaram com eleições a cada dois anos; com a reeleição; reduziram o tempo de campanha de 90 para 45 dias e o tempo de campanha no rádio e na tevê de 45 para 35 dias; constitucionalizam a doação das empresas privadas.


13) Caminham na direção do parlamentarismo, rejeitado pela população brasileira em plebiscito: querem que o povo fique fora das decisões políticas.


14) Lula é o grande pivô da crise: não querem correr o risco de vê-lo vencer em 2018.


15) Maioridade penal não é questão de governo e, sim, de Estado. O Governo Dilma se meteu em uma enrascada.


16) Outra enrascada: tentando estancar os ataques, Dilma nomeia um ministro neoliberal que vem com ajuste fiscal atacando justamente sua base social. Por isso os 9% de aprovação.


17) O ataque da mídia – discurso ético contra corrupção que não se aplica aos tucanos – visa minar as fontes de financiamento do PT. Enquanto isso, um silêncio obsequioso acerca dos quinhentos quilos de pó no helicóptero do Perrela.


18) Há um conluio entre PIG, parte do judiciário, polícia federal e Ministério Público para estrangular o PT.


19) História é história política, ensinava Roland Corbisier.


20) Os cartazes das passeatas conservadoras indicavam claramente o conteúdo desta luta: é uma luta contra o marxismo.


21) Não sei onde eles estão vendo comunismo: nesse governo recuado, confuso, atrapalhado, contemporizador com as classes dominantes?


22) Marx de Garanhuns e Rosa Luxemburgo do planalto?


23) São três as posições básicas diante da realidade social: a conservadora, representada em toda hostilidade às mudanças pela passeata do dia 15/03/2015; a reformista, que mantém o status quo propondo alterações de superfície, representada pelos governos petistas; e a revolucionária, que propõe uma demolição da ordem vigente e sua substituição por outra ordem, representada pelo PSTU e pelo MST.


24) A essas posições correspondem às designações de direita, centro e esquerda, com suas nuanças de cor.


25) Curiosidade: a não ser no período autoritário, eu nunca vi um homem de esquerda recusar esse rótulo; porém, muitos homens de direita que conheço pretendem que esta noção não tem sentido e recusam ser classificados como tal.


26) Em um debate na Globo News, nas eleições presidenciais passadas, Armínio Fraga, ministro da economia de Aécio Neves, disse que a crise acabara e que Mantega falava em crise para justificar seu fracasso na condução da economia.


27) Alguém precisa avisar à Grécia e à Europa que a crise acabou.


28) Para criar constrangimentos ao governo a oposição passou dos limites da responsabilidade. Os reajustes aprovados para o judiciário e para os aposentados inviabilizam o ajuste fiscal.






Celso Gomes



0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home