segunda-feira, junho 23, 2014

CINZAS DO NORTE

Depois de muitos elogios da crítica especializada, li o romance Cinzas do Norte: o romance que não ensina nada. Leitura arrastada, personagens insípidos, cujos nomes são cortados: Trajano é Jano; Raimundo é Mundo; Olavo é Lavo; e por aí vai. E para sacanear o personagem? Um leitor desatento perde logo o interesse, pois percebe que nenhum narrador onisciente nomina assim seus personagens. Por outro lado, não há paisagem interior, os sentimentos surgem e daí se seguem as cenas sem que percebamos o que se passa no interior daquelas almas sem cheiro e cor.
O romance é narrado do ponto de vista de Lavo, que não lava nada, pois nada acrescenta aquele mundinho árido na selva do romance.
Em suma, Cinzas do Norte foi incensado sem nenhum merecimento por nossa crítica especializada.


 Celso Gomes

quarta-feira, junho 18, 2014

A Copa e o homem massa

A Copa e o homem massa

1.                     Os xingamentos à Dilma partiram do setor da sociedade brasileira que mais ganhou com os governos do PT. Aliás, esse setor independe de governo. Eles ganham sempre.
2.                     Aécio Neves e Eduardo Campos fizeram um papelão ao declarar que Dilma, Presidente da República, mãe, avó, mereceu os xingamentos.
3.                     Essa campanha esta sendo pautada pelo ódio da elite caucasiana.
4.                     Deplorável a atitude do homem massa burguês, bem instalado no mundo.
5.                 O que incomoda essa gente, cuja vida não esta pior do que há quatro anos? Querem recuperar o Estado que sempre lhes pertenceu.
6.                     Machismo, falta de educação, falta de civilidade, falta de decoro diante da Presidenta da República.
7.                     O ódio tem sido a tônica desse momento político. Noto que todas as postagens favoráveis ao governo são atacadas ferozmente nas mídias sociais. A Direita não tem deixado passar nada. É uma tentativa de calar a esquerda.
8.                     Movimento “Não vai ter Copa”: união esdrúxula da ultraesquerda com a direita. Por enquanto, um tiro na água.

                        Celso Gomes

terça-feira, junho 10, 2014



VAI TER COPA






1) A grande mídia comemorou a divulgação das pesquisas do Datafolha divulgado pela Folha de São Paulo. Nesta pesquisa, a candidatura da presidenta Dilma Rousseff (PT) caiu de 37% para 34% na intenção de voto; Aécio Neves (PSDB) oscilou de 20% para 19%; Eduardo Campos (PSB) caiu de 11% para 7%; e o Pastor Everaldo (PSC) tem 4%. Na verdade, todos os candidatos caíram, e somente Aécio Neves ficou dentro da margem de erro da pesquisa que é de dois pontos percentuais. Eduardo Campos foi o que sofreu o revés mais duro: caiu quatro pontos percentuais. Com a candidatura do Pastor Everaldo, Marina Silva não tem transferido os votos dos evangélicos para Eduardo.


2) Tenho bons amigos que nunca tiveram nenhuma preocupação social, ou com os destinos dos mais pobres nesse Brasil imenso em território e desigualdade social, que, no momento, surfam na onda da oposição, torcendo para que a World Cup 2014 seja um imenso fracasso para dar razão ao seus mal humores. Esses amigos me dizem: deveria ter investido em educação, foi muita roubalheira, etc. Ora, tirando a constatação de que esses meus amigos nunca se preocuparam com essas questões, pois todos, bem nascidos, não sofreram as agruras desse povo que agora dizem defender, o projeto da Copa no Brasil é megalomaníaco. Há cidades nas quais foram construídas arenas que depois, provavelmente, ficarão sem uso ou com uso bem reduzido, tendo em vista que não possuem times com grandes torcidas para ocupá-los. Todavia, há obras que estavam adiadas há quarenta anos e que, por causa da Copa, foram tocadas, como, por exemplo, o BRT no Rio de Janeiro, que resolve em parte o problema de conexão do metrô com o aeroporto. Por outro lado, a Copa do Mundo traz turistas e dinheiro para o país, e o legado da Copa, as obras em infraestrutura, ficarão para o povo brasileiro após a partida do último torcedor estrangeiro.






Celso Gomes.

<$BlogItemTitleamp;gt;

segunda-feira, junho 02, 2014

COMENTÁRIOS A RESPEITO

                  COMENTÁRIOS A RESPEITO 

1)         Dados da última Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio (PNAD) e do relatório de acompanhamento das Metas do Milênio divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA atestam que a pobreza teve queda de 69% nos últimos dez anos. Além disso, a renda dos mais pobres está crescendo 5,5 vezes mais rápido que a renda dos mais ricos. A PNAD mostra que entre 2003 e 2012, a renda dos 10% mais pobres do país cresceu 106%. O índice equivale ao dobro do aumento da renda média no país – de 51% – no mesmo período. Já a renda do segmento que se encontra bem no meio da pirâmide social aumentou 78% em nove anos. Os números são o resultado de uma equilibrada combinação entre crescimento econômico e diminuição da desigualdade de renda, na qual o salário foi responsável por 3/4 do aumento da renda dos brasileiros, entre 2002 e 2012.
            No Brasil, segundo o IPEA, a fatia dos 1% mais ricos em 1990 concentrava 14,1% da riqueza nacional; em 2012, essa concentração baixou para 12,5%.
            Esses dados, aparentemente, contrariam a tese de Thomas Piketty, economista francês, no livro O Capital no Século XXI. Piketty, que, em sua pesquisa sobre a economia de vários países nos últimos dois séculos, concluiu que a desigualdade social avança a passos largos no mundo rico.              

2)         O ministro Joaquim Barbosa, ao vetar o semiaberto e o direito ao trabalho externo do ex-ministro José Dirceu e dos demais sentenciados na Ação Penal 470, trouxe uma modificação na interpretação jurídica que pode causar insegurança jurídica, atingindo dessa forma outros 77 mil que cumprem pena neste regime, segundo o último levantamento da OAB. A decisão contraria a interpretação da Procuradoria Geral da República, da OAB e do Superior Tribunal de Justiça - STJ quanto ao cumprimento do regime semiaberto e ao direito ao trabalho dos sentenciados. A interpretação desses órgãos é a de não seria necessário o cumprimento de 1/6 da pena para que o preso pudesse alcançar o privilégio do trabalho externo. Barbosa, em seu estilo obtuso e autoritário, descartou a jurisprudência do STJ e decidiu que presos do regime semiaberto só podem trabalhar fora dos presídios após cumprirem 1/6 da pena, quando também podem progredir para o regime aberto.
            Desautorizado por seus pares e por vários membros do Judiciário, Barbosa pediu para sair. O anúncio da aposentadoria do Ministro Joaquim Barbosa livra o Poder Judiciário de um dos piores quadros da história.

3)         A proposta de alteração do Bolsa Família do senador Aécio Neves aprovada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado consegue prejudicar em uma só tacada dois programas do governo federal: o próprio Bolsa Família e o PRONATEC. O interessante é que o Senador, em nenhum momento anterior demonstrou qualquer preocupação social quanto as mazelas do povo brasileiro.
            Na verdade, Aécio Neves mal pode esperar sua eleição para acabar com os programas sociais do Governo federal.

4)         “Tem que baixar o cacete nos vândalos”, diz Ronaldo Fenômeno na Folha de São Paulo, após anunciar seu apoio ao candidato Aécio Neves. Nas manifestações de junho passado, o Fenômeno já havia declarado que não se faz Copa do Mundo construindo hospitais. Esse mesmo Ronaldo, que junto aos grupos de mídia, empreiteiros e administradores públicos corruptos, ganharam rios de dinheiro com a Copa agora se finge de envergonhado. Diria Romário: Ronaldo, assim como Pelé, com um sapato na boca é um poeta. A diferença é que sobre Pelé, até o presente momento, não paira suspeita como gestor da coisa pública; e Ronaldo, ao se envolver com a organização da Copa, meteu suas mãos na lama da política nacional.
           

            Celso Gomes.