quinta-feira, outubro 23, 2008

FESTIVAL DE TECNOLOGIAS SOCIAIS E ECONOMIA SOLIDÁRIO

Amigo(a) participe!Festival de Tecnologias Sociais e Economia Solidária -
dias 23 e 24 de outubro

O Núcleo de Solidariedade Técnica (SOLTEC) da Universidade Federal doRio de Janeiro realizará o Io Festival de Tecnologias Sociais eEconomia Solidária. O evento acontecerá nos dias 23 e 24 de outubro eacontecerá no Centro de Tecnologia da UFRJ, Cidade Universitária, nocampus do Fundão.O objetivo do Festival é promover o intercâmbio entre a academia, osmovimentos sociais, os empreendimentos de Economia Solidária e osprodutores de Tecnologias Sociais. O Festival será dividido em trêspartes: Trocas de Conhecimento, Trocas de Cultura e Mostra deProdutos, Serviços e Organizações.Toda a programação do Festival é gratuita e aberta ao público. Maioresinformações no endereço www.soltecfestival.poli.ufrj.br ou através doe-mail festivalecosol2008@gmail.com.
<$BlogItemTitle$>

quarta-feira, outubro 22, 2008

GABEIRA E A RENOVAÇÃO CONSERVADORA

GABEIRA E A RENOVAÇÃO CONSERVADORA

Arnaldo Jabor, na última o semana do período eleitoral no Rio de Janeiro, em sua crônica publicada no jornal O Globo de 21/10/2008, declara o voto em Gabeira. Ele provavelmente não sabe, mas acabou de ajudar uma grande parcela do eleitorado carioca que estava em dúvida.
Em 08/11/2006, logo após a reeleição de Lula, publiquei no meu blog Arrabaldes A Crônica dos Derrotados, no qual analisava alguns artigos do articulista acima referido. Naquela época, Jabor fazia previsões catastróficas para o país após a reeleição de Lula. Aproximadamente dois anos depois, suas previsões foram para o ralo da história. O Brasil, que não é nenhuma ilha de tranqüilidade, tem atravessado a grande crise financeira da Era da Globalização com problemas causados pela ganância e pela desregulamentação do mercado financeiro norte-americano. A crise é global e não brasileira. Nada tem a ver com a política econômica do Governo Lula. Tanto assim que o Washington Post questionou recentemente acerca do fim do Capitalismo, e a revista The Economist publicou matéria denunciando que o Capitalismo está acuado.
Não sei se é o fim do Capitalismo, mas o fato é que se quebrou a confiança nas instituições da economia de mercado. É bastante provável que o atual modelo de Capitalismo financeiro, sem regulamentação adequada, tenha caído por terra. É provável que o Capitalismo sobreviva, mais por falta de alternativas viáveis do que por seus próprios méritos. Novamente os liberais levaram o mundo à bancarrota; novamente serão salvos pelo Estado, a besta do apocalipse preferida dos ideólogos neo-liberais, que nos oito anos de Governo FHC repetiram esse mantra à exaustão.
Disse alhures que Jabor ajudou boa parte do eleitorado a se definir e este é o mote deste artigo, pois o articulista acredita que a massa atrasada, que não o vê como farol, vota em Paes; que o bordão de mudança de Obama poderá influenciar as vitórias de Gabeira e Kassab. Entretanto pergunto: que mudança? Não se iludam leitores de Jabor, pois não há nenhuma mudança no horizonte dos dois candidatos. Kassab, apesar de novo, é velho na política. Foi Secretário de Planejamento do Prefeito Celso Pitta em São Paulo de 1997 a 2000. e Gabeira há muito tempo abandonou o campo da esquerda para se oferecer como líder dessa nova direita. Não é sem motivo que Gabeira ganhou apoio do reacionário Clube Militar. Veja-se Caetano Velozo o apoiando. Não tem novidade, há anos que Caê tem criticado a Esquerda brasileira com um discurso confuso que não sabe em que desaguar. É a velha direita maquiada que busca iludir a juventude com o discurso de novidade. O Brasil é assim meio estranho: um ex-guerrilheiro de esquerda lidera um movimento de renovação conservadora na antiga capital do país em um momento que os conservadores estão acuados mundo afora, que Obama lidera nas pesquisas eleitorais norte-americanas, que o sucessor de Blair estatiza bancos na Inglaterra.
Na revista de O Globo, Marta Medeiros declara seu voto em Gabeira, não tem novidade. São sempre os mesmos que se vestem de branco para abraçar a Lagoa pedindo paz e depois voltam para seus apartamentos de classe média e assistem a miséria pelos noticiários de TV. Gabeira é o legítimo representante desse povo. Devem votar nele. Veja-se seu discurso preconceituoso contra a vereadora que o apóia, chamando-a de analfabeta política e suburbana. E agora, novamente demonstrando seu preconceito declarando que os sambistas apoiaram Paes por causa de uma feijoada. Ou seja, a adesão dos artistas à sua campanha é legítima, a adesão dos sambistas não tem ideologia, foi feita sem consciência política. É assim que o candidato pretende governar essa cidade partida chamada Rio de Janeiro? De maneira preconceituosa e elitista?
Em São Paulo, Jabor acusa Marta de ser trampolim ideológico para fortalecer o PT nas eleições de 2010. Ora, todos os articulistas políticos já declararam que a vitória de Kassab cacifica Serra para a Presidência. Ou seja, 2010 sempre esteve na pauta de São Paulo, mas o articulista, que prefere as privatarias tucanas, silencia sobre o uso da máquina serrista para trabalhar em favor de Kassab.
A crônica de Jabor norteou o eleitorado de esquerda que deve caminhar para o centro. Nesse sentido, Jabor ajudou a esquerda carioca que não engolia Paes por sua atuação contra Lula. Alguns amigos me disseram que o artigo - defendendo o voto em Kassab e Gabeira - os levou para o outro lado, pois dizer que Gabeira interrompe décadas de sordidez chaguista, brizolista, etc, que há mudança cultural nesse voto, quando vemos Marcello Alencar, Luiz Paulo Correia da Rocha, César Maia, Bornhauser, o apoiando. É cinismo demais. A velha direita em crise busca renovação, sem escrúpulos, sem bandeira e com um cinismo de doer.


Celso Gomes


<$BlogItemTitle$>

terça-feira, outubro 21, 2008

O TELEFONEMA DE DRUMMOND

O TELEFONEMA DO DRUMMOND

Conheci um cara tempos atrás, que tocava órgão na igreja da Consolação no Engenho Novo. Ele tinha o hábito de mandar cartas e de telefonar para o Carlos Drummond de Andrade. O poeta nunca estava em casa, jamais respondia às missivas. Um dia, entretanto, atendeu ao telefone. Conversaram vinte, talvez trinta minutos. Esse conhecido, que também escrevia seus versos, nunca esqueceu o fato. Era seu troféu!
Anos depois, o internaram no Pedro II.
Fui visitá-lo. “Não sou louco, mas tenho que me fazer de. Se durmo no ponto, me enrabam.” Cochichou ao meu ouvido, olhando assustado para os lados. Com o tempo, perdi o contato. Vez por outra, recebia correspondência sem remetente. Passei a atribuí-las a ele. Não tenho respostas. Veja um exemplo:
“Existo como um cigarro ardendo no cinzeiro, ou um pássaro sobrevoando a cidade barulhenta em que habita a minha vida? Passageiro ou não, sei que vivo. Tenho uma forma minúscula. Desconsidero outra forma de existir.”
Poema em prosa, ou desabafo?
Outro exemplo:
“Posso ver as pessoas se movimentando, as estrelas, os objetos que caem, absorvendo lentamente espaços de outros seres. Ver as luzes ou o ofego após uma calma instantânea com a precisão que a vida oferece. Está claro isso? (Parte ilegível) quando estou sozinho no escuro, ouvindo música, acontece algo apavorante. Tenho um (palavra riscada) incrível de música... Sei que é complicado falar nisso. É como quando vejo os garotos correndo pelas ruas, os automóveis cruzando as avenidas, as setas apontando para o futuro. Será que tem valor ser como um cigarro que se consome lentamente sem consciência disso?”
Ao final desta carta, uma data: 30 de abril de 1987. Nada mais. Depois desta, que foi a primeira, vieram outras e outras, até que cessaram. Resolvi ir ao Pinel para visitá-lo. Havia cometido suicídio, deixando centenas de cartas para serem remetidas a mim com outro interno.

<$BlogItemTitle$>

segunda-feira, outubro 20, 2008

ALGO A DIZER

Já está no ar a atualização de OUTUBRO do jornal de Cultura e Política Algo a Dizer (www.algoadizer.com.br), com as seguintes matérias:

1) Entrevista exclusiva com o ator e humorista Bemvindo Sequeira: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=156 ;

2) Matéria de Áurea Alves, Gustavo Dumas e Régia Macêdo sobre o Festival do Rio e alguns de seus filmes: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=153 ;

3) Resenha de Aquiles Rique Reis, do MPB4, do CD À Deriva II: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=152 ;

4) A nova montagem, no Rio, de "Boca de Ouro", de Nelson Rodrigues, por Ana Cecília: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=150 ;

5) Os comentários de Gustavo Dumas sobre as seções de cartas dos leitores dos grandes jornais cariocas: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=164 ;

6) A situação na Bolívia, por Marcos Domich, membro da comissão política do PC boliviano: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=159 ;

7) O professor Rodrigo de Souza Pain analisa as eleições legislativas em Angola: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=162 ;

8) O grande Machado de Assis, no olhar da professora Cyana Leahy-Dios: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=154 ;

9) Outro grande, Cartola, que completaria 100 anos neste mês, por Douglas Naegele: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=155 ;

10) O compositor e cantor Sérgio Ricardo homenageia o também compositor e cantor chileno Victor Jara: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=163 ;

11) Luciano Cazz fala de crença e religião: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=158 ;

12) "A Terra Prometido", crônica de Maria Balé: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=160 ;

13) A poesia de Andréia Donadon Leal: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=151 ;

14) "As Tias do Conto da Sala", conto de Maria Lindgren: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=161 ;

15) O ensaio de Ernesto Germano Parés analisa o Liberalismo: http://www.algoadizer.com.br/site/exibirEdicao.aspx?MATERIA=157 .

Boa leitura.

<$BlogItemTitle$>