segunda-feira, agosto 25, 2008

Ao contrário do que foi publicado pelo jornal O Globo, no sábado passado (23 de agosto de 2008), não haverá plantio de canaviais e nem a instalação de usinas de cana no Pantanal. O Zoneamento Agroecológico da cana, cuja discussão ainda não terminou, vai estipular que:

1) No Bioma Amazônia não haverá nenhuma nova usina de cana, apenas continuarão na região as quatro já existentes há mais de dez anos, como em Roraima e no Acre;

2)No caso do Pantanal, serão mantidas as proteções já definidas nas leis estaduais de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e na Resolução Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

Além disso será criado uma faixa de exclusão para além do Bioma Pantanal. E mais: após essa faixa de exclusão, serão ainda tomadas medidas para mitigar o impacto das atividades econômicas já instaladas na região há mais de dez anos, como, por exemplo, o chamado plantio direto de cana, que gera menos movimento de terra e menos assoreamento, e a redução progressiva do uso de agrotóxico, visando a sua eliminação. Portanto, repetindo: não haverá qualquer nova usina de cana no Pantanal nem tampouco qualquer plantio de cana. E as defesas ambientais atuais ainda serão ampliadas, tanto do ponto de vista geográfico quanto tecnológico.

Na discussão de quatro horas do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, na Comissão de Agricultura da Câmara Federal, na semana passada, os temas Pantanal e plantio de cana sequer foram mencionados. Todo o debate girou em torno do decreto que regulamentou a Lei de Crimes Ambientais. Dos seus 162 artigos, os deputados pediram mais prazo e condições para cumprir o Código Florestal, sobretudo nas regiões Sul e Sudeste do país, onde as propriedades já são integralmente exploradas economicamente.

Mais esclarecimentos sobre esses temas serão dados em coletiva à imprensa, na próxima terça-feira, dos ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes.Na coletiva, serão também tratados outros pontos de entendimento, tais como: o pagamento por serviços ambientais de reflorestamento de matas ciliares pelos agricultores e a recuperação de pastagens e áreas degradas, para que a produção seja intensificada, não invadindo áreas protegidas da Amazônia e o Pantanal.

Carlos Minc
Ministro do Meio Ambiente

sexta-feira, agosto 22, 2008

ALGO A DIZER

Está no ar a edição de AGOSTO do jornal de Cultura e Política Algo a Dizer (www.algoadizer.com.br), com as seguintes matérias:

1) ENTREVISTA exclusiva com Paulo Haus, advogado, uma das maiores autoridades no chamado Terceiro Setor:http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/entrevista.htm;

2) POLÍTICA: carta de adeus a Cesar Maia, por Gustavo Dumas: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/politica.htm;

3) DISCO: "Patrimônio da Humanidade", do Quinteto em Branco e Preto, por Áurea Alves: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/disco.htm;

4) DIREITO E JUSTIÇA: a polêmica atuação de Gilmar Mendes no STF, por Normando Rodrigues: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/direito.htm;

5) MEIO AMBIENTE: a relação entre distribuição de renda e preservação ambiental, por Lucina Montechiari:http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/meioAmbiente.htm;

6) OLIMPÍADAS: "A insuspeitável poética do esporte", por Maria Balé: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/olimpiadas.htm;

7) POLÊMICA: Eduardo Caminietzki defende a Cidade da Música: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/polemica.htm;

8) MÚSICA: "Até Sangrar", disco de Áurea Martins, por Aquiles, do MPB4: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/musica.htm;

9) BOLÍVIA: Ivan Pinheiro comenta o referendo no país vizinho e a vitória de Evo Morales: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/bolivia.htm;

10) OPINIÃO: o leitor José Carlos de Oliveira fala da postura da imprensa brasileira: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/opiniao.htm;

11) COTIDIANO: "Como me senti? No meio fio", por Douglas Naegele: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/cotidiano.htm;

12) POESIA: alguns poemas de Lau Siqueira: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/poesia.htm;

13) CONTO: "Enquanto as serpentes dormem, as caralhas se divertem", por Zeh Gustavo: http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/conto.htm;

14) ENSAIO: Os desafios do incentivo à leitura, por Cyana Leahy-Dios http://www.algoadizer.com.br/edicao_11/ensaio.htm.

Boa leitura

quinta-feira, agosto 07, 2008

POESIA

Para comprovar que o blog também é literário, estamos postando um poema de CDA.
Após essa postagem, publicaremos, semanalmente, um conto escrito com base na minhas memórias de Cavalcante, a aldeia de minha infãncia.

DRAMA SECO

O noivo desmanchou o casamento.
Que será da noiva – toma hábito
ou se consagra à renda de bilro para sempre?
Tranca-se ao jeito das viúvas trágicas.
O noivo fica noivo novamente,
de outra moça, em outra rua.
A noiva antiga que dirá
em seu quartinho negro, à hora em que...?
À hora em que
passar a pé
o noivo com
seu cortejo, braço dado a braço dado,
rumo da noiva nova,
diz-que da antiga casa de noivado
a água descerá, em punição.
Lá vai o cortejo
todo ressabiado,
terno noivo
terno novo
preto de medo,
vestido novo
branco de medo,
olho no medo
no céu da casa.
Todas as janelas secamente fechadas,
sequer uma lágrima
pinga na lapela do noivo.

Carlos Drummond de Andrade