terça-feira, junho 17, 2008

ELEIÇÕES EM BELO HORIZONTE

A tese do entendimento em BH foi nacionalizada por seus idealizadores - Aécio e Pimentel.

O PT não tem nada haver com isso! Respondendo a entrevista no JB deste final de semana, o presidente Lula, perguntado se não há preconceito do PT com partidos aliados, no caso do rompimento do PMDB por causa de dificuldades de algumas alianças no interior do RJ, Lula respondeu que "não podemos misturar divergências político-ideológicas com preconceito". Em seguida disse que "no Rio, o PMDB decidiu por candidatura própria. Eu não posso dizer que não, porquê o PMDB tem o governador. Mas o PT também terá candidato".Quando perguntado sobre BH, Lula disse que é "um crítico do comportamento do PT", pelas seguintes razões: O problema é local, foi aprovado pela municipal e estadual, o candidato é do PSB, o vice é do PT, não vai ter coligação na chapa de vereadores. E o Aécio estará apenas apoiando. E pergunta qual é o estigma, já que em outros lugares o PT se aliará ao PSDB e ao PFL.

A questão é que:

1. A aliança PSDB/PT, foi nacionalizada por ambos - prefeito e governador. Todos os argumentos são de que não há grandes diferenças políticas e ideológicas entre os projetos do PSDB e PT. (sobre a nacionalização do debate em torno da fórmula idealizada para unir PT e PSDB via candidato do PSB, há uma vasta bibliografia nos jornais e revistas de circulação nacional, além de programas de Rádio e TV).

2. O acordo entre os dois foi comunicado pela imprensa: A fórmula e o candidato.

3. Aécio não está apoiando, está coordenando todo o processo.

4. Não há estigma, nem preconceito, há diferenças político-ideológicas enormes entre o PT e Aécio Neves. ( Sobre esse tema também há vasto material na mídia escrita, falada e televisionada onde o governador tece críticas contundentes ao PT e ao governo Lula. O governo dele em Minas não tem nada que possa nos unir - nem nos métodos nem em suas prioridades. O PT é oposição ao governador, aprovado no Congresso do partido em Minas).

5. No caso de Minas, o PSDB tem o governador, mas o PT tem a prefeitura da capital. O correto era o PT ter o candidato e liderar uma Frente. Ocorre que o Aécio tem um candidato e coordena uma Frente, na qual o papel do PT é de coadjuvante. Aécio organiza sua base de sustentação em torno da chapa de BH e tira o PT sem precisar disputar eleição, usando o nosso tempo de TV, dividindo nossa base social e nossa militância. É um estrago no Partido em Minas Gerais.

6. Por tudo isso está correta a posição da Direção Nacional, que não está entrando em nenhuma briga que não é dela. Pelo contrário, está garantindo o caráter nacional do PT, e fazendo valer a aplicação de nossa política de alianças. Esta é a função da direção, aprovar diretrizes e implementá-las. Foi agindo assim que o PT cresceu, se estabeleceu e elegeu Luiz Inácio Lula da Silva, depois de três eleições seguidas. E se transformou no partido de maior preferência popular do país.

Gleber Naime - Secretário Nacional de Comunicação do Partido dos Trabalhadores

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home